Aviso de Tempo Frio, Precipitação e Neve

Serviço Municipal de Proteção Civil - Aviso no 01 / 2021

8 de janeiro de 2021
Neve
De acordo com o Aviso da Proteção Civil, alertamos para os efeitos expetáveis e recomendamos medidas preventivas, considerando o quadro meteorológico adverso para o período entre as 15h00 de sexta-feira dia 08 e as 21h00 de segunda-feira dia 11 de janeiro.
De acordo com a informação meteorológica disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), prevê-se um quadro meteorológico adverso para o período entre as 15h00 de sexta-feira dia 08 e as 21h00 de segunda-feira dia 11 de janeiro, caracterizado por:
  • Descida da temperatura máxima com formação de gelo e geada;
  • Possibilidade de precipitação em forma de neve acima dos 400/600 metros de altitude;
  • Vento fraco a moderado (até 30km/h) de norte/nordeste com possibilidade de rajadas até 70km/h.
Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:
  • Aumento do desconforto térmico na população em especial pela conjugação da diminuição da temperatura e do vento intenso, em especial nas noites de sábado para domingo e de domingo para segunda-feira;
  • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação de gelo e formação de lençóis de água;
  • Intoxicações por inalação de gases, devido a inadequada ventilação, em habitações onde se utilizem aquecimentos com lareiras e braseiras;
  • Incêndios em habitações, resultantes da má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias em circuitos elétricos;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano por acumulação de águas pluviais ou insuficiência dos sistemas de drenagem;
  • Possibilidade de inundações em zonas historicamente mais vulneráveis em resultado do transbordo de linhas de água;
  • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas em virtude de deficiências de drenagem;
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
  • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

MEDIDAS PREVENTIVAS

O SMPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, nomeadamente através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observância e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:
A nível da proteção individual:
  • Evitar a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;
  • Manter o corpo quente, através do uso de várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;
  • Proteger das extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol) e calçado quente e antiderrapante;
  • Ingerir sopas e bebidas quentes, evitando o álcool que proporciona uma falsa sensação de calor;
  • Proteção em termos de vestuário por parte de trabalhadores que exerçam a sua atividade no exterior, e evitar esforços excessivos resultantes dessa atividade;
  • Acautelar a prática de atividade física no exterior, prestando atenção às condições do piso para evitar quedas;
  • Prestar atenção aos grupos mais vulneráveis (crianças nos primeiros anos de vida, doentes crónicos, pessoas idosas ou em condição de maior isolamento e trabalhadores que exerçam atividade no exterior).
A nível da proteção coletiva:
  • Especial atenção aos aquecimentos com combustão (ex.: braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação devido à acumulação de monóxido de carbono e levar à morte;
  • Assegurar uma adequada ventilação das habitações, quando não for possível evitar o uso de braseiras ou lareiras;
  • Evitar o uso de dispositivos de aquecimento durante o sono, desligando sempre quaisquer aparelhos antes de se deitar;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e acumulação de água e/ou gelo nas vias;
  • Evitar a circulação em vias afetadas pela acumulação de neve;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou tampas de saneamento abertas;
  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.
O SMPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação meteorológica previsível, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução da situação para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, ou através dos seguintes contactos: 253 421 212 ou smpc@cm-guimaraes.pt.

Adicionar comentário